O SABER CIDADES

O SABER CIDADESO Serviço Social Autônomo (Paranacidade, órgão ligado à Secretaria do Desenvolvimento Urbano (SEDU), abre um espaço "O SABER CIDADES", para a veiculação de trabalhos acadêmicos, pesquisas e projetos propostos pelo saber de seus técnicos e especialistas no desenvolvimento das cidades. Muitos desses trabalhos são apresentados em Congressos Nacionais e até no Exterior. E algumas ideias propostas já receberam prêmios, como é o caso do SEDU/Paranacidade Interativo, uma ferramenta que tem o objetivo de subsidiar a formulação e monitoramento de políticas públicas, em particular, aquelas voltadas às áreas urbanas, e ganhou o Prêmio MundoGeo#Connect Latin America 2016, ficando em primeiro lugar na categoria "Gestão Pública". Com esta ferramenta, os gestores estaduais e municipais de secretarias e órgãos públicos ganharam um novo aliado para troca de dados, integração de diferentes setores do governo, análise e coleta de informações para aprimorar o desenvolvimento dos 399 municípios do Paraná. Mas, todos os trabalhos visam o respeito e a prioridade ao ser humano e ao meio-ambiente, buscando a sustentabilidade.

 

O SABER CIDADES


Manual de Iluminação Pública

Iluminação

Este trabalho surgiu da necessidade de apresentar um manual de boas práticas de gestão do Sistema de Iluminação Pública aos municípios do Estado do Paraná. O objetivo de profissionais e especialistas da SEDU/Paranacidade e Copel é subsidiar a Administração Municipal com conteúdo para a melhor operação, manutenção e, inclusive, expansão do Sistema de Iluminação Pública. O objetivo, ainda, abrange a institucionalização, implantação e implementação ou revisão da COSIP para o custeio das atividades desse sistema. Este Manual se destina ao corpo técnico responsável pela gestão da Iluminação Pública das Prefeituras Municipais, onde se procura abordar os temas mais relevantes.

Manual de Iluminação Pública (PDF, 38,7Mb)


Todos os caminhos levam a Roma!

Metodologia para Classificação do sistema viário

"A expressão remonta ao século I, quando o Império Romano era o umbigo do mundo e ia da Bretanha (na atual Inglaterra) à Pérsia (no atual Irã), e chegou a ter 80 mil quilômetros de estradas. Chamadas de cursus publicus, elas não eram como as que temos hoje e constituíam mais um meio de comunicação do que de transporte, por onde mensageiros levavam ordens de um lado para o outro do império."

E hoje, para onde nos levam os caminhos?

A importância de um caminho, de uma estrada, de uma via está além da própria obra. Caminhos levam mãe até os filhos, jovens ao saber acadêmico, a aventuras e abertura para o mundo, une casais apaixonados e famílias. E muito mais...

Caminhos são obras de arte e é preciso entender a função e a importância de cada um deles. E todos dentro de leis que dão facilidades para a classificação do Sistema Viário. É este o tema de pesquisas e de estudos veiculados pelos técnicos e especialistas do Paranacidade.

Metodologia para classificação do sistema viário


Trabalho apresentado na Noruega

Trabalho de pesquisa apresentado por profissionais do Paranacidade, no fim de 2018, durante o 54º Congresso Anual  da Sociedade Internacional de Planejadores Urbanos e Regionais – ISOCARP -, em Bodo, na Noruega. O tema abordado pelo arquiteto urbanista, Fernando Caetano; pelo economista, Jerônimo Meira, ambos analistas de Desenvolvimento Municipal; e pela estagiária graduanda em Arquitetura e Urbanismo, Mirela Purim, todos do Paranacidade, foi: "a anulação dos perímetros urbanos como instrumento técnico de planejamento para tornar as cidades mais sustentáveis". Os três representaram o Brasil neste evento mundial de planejamento urbano, em conjunto com outro colega argentino, onde foram apenas dois os expositores da América do Sul.

Artigo PDF (1,4Mb): A anulação do perímetro urbano como instrumento técnico de planejamento urbano: a insustentabilidade das cidades brasileiras do Estado do Paraná

Arquiteto Urbanista Mestre em Geografia Analista de Desenvolvimento Municipal.jpg

Fernandona Noruega


Método para Plano de Rota Acessível em Calçadas do Paraná é apresentado em Congresso na Indonésia

Congresso na Indonésia

Um dos trabalhos do Governo do Paraná foi mostrado no 55º Congresso Mundial de Planejamento Urbano, na última semana, em Jacarta, na Indonésia, que reuniu mais de 2.000 profissionais de todas as partes do mundo. O arquiteto e analista de desenvolvimento municipal do Serviço Social Autônomo – Paranacidade, órgão executor das políticas públicas da Secretaria do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas (SEDU) -, Fernando Caetano, fez a exposição do Método para a realização de um Plano de Rota Acessível nas Calçadas do Paraná.

O arquiteto demonstrou como devem ser feitas as conexões necessárias, o levantamento do diagnóstico das calçadas onde cabem intervenções e o orçamento de gastos adequado a cada situação. “O município piloto do Paraná, mostrado na Indonésia, foi o de Quitandinha, na Região Metropolitana do Paraná. E a prefeita, Maria Júlia Wojcik, falou, em Curitiba, sobre a alegria em ter a sua cidade como modelo em um evento internacional”, contou Caetano.

Congresso na Indonésia

O arquiteto disse que, no caso de Quitandinha, com uma população de pouco mais de 17 mil habitantes – Censo de 2010 -, para requalificar os 8 km ou 25.000 m2 de calçadas o investimento seria em torno de R$ 3 milhões. “E este Método, assim como todos os outros trabalhos realizados pela SEDU e Paranacidade estão disponíveis na ferramenta SEDUParanacidade Interativo a todos os gestores públicos.  

DENTRO DA LEI - O Congresso é promovido pela Sociedade Internacional de Planejadores Urbanos e Regionais  - ISOCARP -, da Holanda. Fernando Caetano lembrou que, no Brasil, há Leis Federais que exigem responsabilidades dos gestores públicos com o bem estar dos cidadãos, como a que exige que o Município tenha Plano de Rotas Acessíveis. “Assim, Municípios com mais de 20 mil habitantes podem ter acesso a financiamentos para obras e infraestruturas necessárias à população. Basta lembrar que a Lei 15.229/2006 foi alterada em 2009 para dar maior fôlego aos gestores municipais à adequação de seus Planos Diretores Municipais, até 2021”, enfatizou.

Logo abaixo, o trabalho apresentado pelo arquiteto e analista de desenvolvimento municipal do Paranacidade, no 55º Congresso Mundial de Planejamento Urbano, promovido pela Sociedade Internacional de Planejadores Urbanos e Regionais – ISOCARP -, realizado do dia 09 a 13 de setembro em Jacarta, na capital da Indonésia.

isocarp.org/

Congresso na Indonésia

O trabalho é resultado de uma ação estratégica do PARANACIDADE, que inclusive consta em seu Plano de Ação Estratégico 2019, cujo objetivo é desenvolver e aplicar um Método para a Definição e Implantação de Rotas Acessíveis nas Calçadas das Cidades do Paraná, em atendimento às inovações, a partir de 2015, previstas na Legislação Brasileira e Paranaense em prol da acessibilidade universal (Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência e Estatuto da Pessoa com Deficiência do Estado do Paraná).

A referida Legislação exige, para os Municípios obrigados a ter Plano Diretor, a elaborarem e implantarem também Plano de Rotas Acessíveis. 

Mesmo com essa obrigatoriedade legal, pode-se dizer que são raros, ou muito raros, os Municípios que possuam um plano com este enfoque. Diante disso, espera-se que este trabalho, desenvolvido pelo PARANACIDADE, estimule as administrações locais a avaliar a situação existente das calçadas de forma a incluir a adequação das mesmas em suas agendas de investimento e financiamento, ou mesmo apoiar a Administração Estadual na definição e ampliação de Políticas Públicas voltadas à qualificação do ambiente urbano das cidades do Paraná.

A metodologia desenvolvida no PARANACIDADE, bem como a sua aplicação em alguns municípios-piloto da Região Metropolitana de Curitiba, está disponível no seguinte endereço no site SEDUPARANACIDADE INTERATIVO:

paranainterativo.pr.gov.br/portal/apps/MapSeries/index.html?appid=513efb6ce40f4017b57e37722395f790

O trabalho foi apresentado dentro da Sessão 3 do Evento cujo tema era  “Cidades Habitáveis e Saudáveis: Planejamento para as Pessoas”. Dentro desta sessão do Congresso, o trabalho foi agrupado junto com os de outros urbanistas do mundo, numa subseção com o subtema “Mobilidade Sustentável e Ruas para as Pessoas”. Abaixo segue link da sessão:

isocarp2019.isocarp.org/en/programme/program-schedule/discussions/program/86/3-5-sustainable-mobility-and-streets-for-people

A apresentação e publicação destes trabalhos técnico-científicos do PARANACIDADE, em âmbito nacional e internacional, visa cumprir um dos objetivos da Instituição, previsto no inciso IX, artigo 7º, da Lei Estadual nº 15.221/2006, que instituiu o PARANACIDADE: 

IX – publicar e divulgar trabalhos técnico-científicos com vistas ao aprimoramento da gestão municipal.

Congresso na Indonésia

Congresso na Indonésia

Congresso na Indonésia

Congresso na Indonésia

Congresso na Indonésia


 

Recomendar esta página via e-mail: